Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]




O sono da vida que me atormenta

por P. Barbosa, em 31.08.08

Se fosse a vocês não voltava cá. Estes blog é post sim, post sim, a encarnação deprimente da vontade. Mas é mais forte do que eu.

Mas agora a sério, estou a trabalhar num projecto pessoal (a muito esforço) que é escrever sobre coisas mais alegres e que dão felicidade às pessoas, que elas normalmente gostam, que as põem satisfeitas, por exemplo o amor. Ou o açúcar, ainda não decidi.

Mas agora não me posso conter e tenho de escrever mais um post deprimente. Dá-me tesão.

Cá vai;

Fecho os olhos e preparo-me. Tento adormecer, ou sono tenta me afastar da mente, não sei bem.
Luto, na mesma.
A minha consciência falante e sonolenta fica a falar com ela própria, sem saber bem onde está e o que fazer. Sim, o que fazer dentro de um buraco negro, sem ninguém para falar, ouvir ou fazer.
Seja como for agarro-me à vida, num movimento tão inútil quanto cobarde. Prefiro o buraco escuro e ficar sozinho para toda a eternidade que desaparecer no vácuo. Um acto corajoso sem dúvida.
Para todos os efeitos vivo neste momento num universo paralelo, ao qual mais ninguém tem acesso, só meu. Será assim a morte? Ficarmos sozinhos, apenas falando e ouvindo a nós próprios? Será isto o inferno?
Resisto, mas sou sempre vencido.
Às vezes gosto de pensar que, se isso acontecer, se ficar sozinho para toda a eternidade, me bastará sonhar, sonhar para sempre, sonhar com um universo, com um mundo, com uma existência, e será uma questão de tempo até que o sonho se confunda com a realidade, que a última substitua a primeira (porque só pode existir uma coisa), porque podemos escolher, porque basta acreditar, porque a realidade não é nada mais que um sonho em que acreditamos, e assim posso renascer, voltar a viver.
 
Desapareço, a palavra a última coisa a desistir depois de todas as outras me terem abandonado, para renascer miraculosamente na manhã seguinte como que transplantado num novo mundo.

Abro os olhos e sinto o meu primeiro sopro. “Vai à tua vida” - diz Ele sem dizer.


Pronto, já acabou. Não doeu pois não?

Autoria e outros dados (tags, etc)

publicado às 00:01


8 comentários

Imagem de perfil

De Artemisa a 28.08.2008 às 23:51

Não serias o primeiro nem o último a viver em permanente sonho, porque isso torna a vida mais suportável. Estúpida... mas suportável.

Uma boa noite*
Imagem de perfil

De P. Barbosa a 29.08.2008 às 00:20

Como dizia o outro "o sonho comanda a vida". Por isso tens razão, vivemos em permanente sonho, e isso não tem mal nenhum. Fomos feitos assim, e disto não podemos escapar.

Só que guiar-nos pelo sonho não significa que andemos com os olhos fechados. É isso que gosto de fazer, abrir os olhos, que não estes que tem pálpebras...a puta da vida pode-me usar, silenciosamente, a vida toda, mas não lhe vou dar tréguas, seja de que maneira for.

Sem imagem de perfil

De NMM a 29.08.2008 às 00:07

não caro amigo não doeu, a dor é uma coisa pessoal, acho graça a que3m diz"partilha a tua dor comigo" impossivel digo eu, a dor é uma coisa demasiado pessoal para ser partilhada, podemos partilhar os motivos da dor, mas a dor tem tantas e tão variadas formas de ser sentida que se torna uma sençação muito pessoal, e só quem a sente sabe como ela corroi as entranhas, só quem a sente, a pode descrever, isto quando ela é descritivel, continua a desabafar se disso sentes necessidade, não podes partilhar a dor, mas podes partilhar a causa dela
Imagem de perfil

De P. Barbosa a 29.08.2008 às 00:15

Não é dor que eu sinto. Esta dor é imaginada, tal como quando me doem as barrigas das pernas quando alguém me começa a falar que foi operado (por acaso aconteceu-me hoje precisamente). Não sei porque, mas quando ouço falar de agulhas uma dor física (literalmente?) surge-me nas pernas. E doí mesmo!

Doí mas não é uma dor minha. Não sou um tipo tristonho (talvez um pouco) ou infeliz (não acredito na infelicidade). Sou acima de tudo, isso sim, sarcástico (embora por vezes isso não se note...). Só gosto de falar destas coisas, porque, sinceramente, acho que encerra uma verdade mais profunda que gostava de conhecer. Só isso.

Dá-me a vontade...
Imagem de perfil

De Kai a 30.08.2008 às 18:10

Em 1º lugar obrigado pelo teu comentário..
Em 2º escreve não para pôr os outros contentes, mas escreve o que te faz sentir bem..e já agora, escreves muito bem..!
E depois, acho que é o açucar que pões as pessoas mais contentes ao invés do amor..

Bom fim de semana
Imagem de perfil

De Vontade de Homem a 07.09.2008 às 01:23

Ora essa. Volta sempre.
Sem imagem de perfil

De Isa_ a 11.12.2010 às 03:16

só pode existir uma coisa?!... n percebi :/
Imagem de perfil

De P. Barbosa a 11.12.2010 às 09:48

É um ensaio. Espeto aqui com alguns textos sem o enquadramento necessário...Se só pode existir uma coisa...depende do que significa existir e da coisa em questão :)

Comentar post



Livros e Contos


Com o meu pai aprendi que cada palavra é preciosa. Dizia-me frequentemente, com um sorriso desafiador, Cada palavra é preciosa! A verdade tem uma direcção mas não um destino (não te esqueças). Tudo o que eu digo é mentira, vê se descobres... Nunca descobri a verdade escondida naquelas palavras preciosas.

Disponível em
iBooks, Google Play, Kobo, Kindle











Arquivo

  1. 2016
  2. J
  3. F
  4. M
  5. A
  6. M
  7. J
  8. J
  9. A
  10. S
  11. O
  12. N
  13. D
  14. 2015
  15. J
  16. F
  17. M
  18. A
  19. M
  20. J
  21. J
  22. A
  23. S
  24. O
  25. N
  26. D
  27. 2014
  28. J
  29. F
  30. M
  31. A
  32. M
  33. J
  34. J
  35. A
  36. S
  37. O
  38. N
  39. D
  40. 2013
  41. J
  42. F
  43. M
  44. A
  45. M
  46. J
  47. J
  48. A
  49. S
  50. O
  51. N
  52. D
  53. 2012
  54. J
  55. F
  56. M
  57. A
  58. M
  59. J
  60. J
  61. A
  62. S
  63. O
  64. N
  65. D
  66. 2011
  67. J
  68. F
  69. M
  70. A
  71. M
  72. J
  73. J
  74. A
  75. S
  76. O
  77. N
  78. D
  79. 2010
  80. J
  81. F
  82. M
  83. A
  84. M
  85. J
  86. J
  87. A
  88. S
  89. O
  90. N
  91. D
  92. 2009
  93. J
  94. F
  95. M
  96. A
  97. M
  98. J
  99. J
  100. A
  101. S
  102. O
  103. N
  104. D
  105. 2008
  106. J
  107. F
  108. M
  109. A
  110. M
  111. J
  112. J
  113. A
  114. S
  115. O
  116. N
  117. D


Mais sobre mim

foto do autor